09/07/2018

Novos indices dos olímpicos brasileiros rumo aos Jogos Equestres Mundiais

Pedro Almeida se juntou ao grupo de atletas tecnicamente qualificados para os Jogos Equestres Mundiais ao lado de Leandro Silva e Giovana Pass e João Victor Oliva.



Faltando menos de dois meses para os Jogos Equestres Mundiais 2018 - que acontecem a cada quatro anos e são considerados a "Copa do Mundo" do hipismo - um Concurso de Adestramento Internacional e Nacional movimentou a Sociedade Hípica Paulista, em 6 e 8/7. Na sexta-feira, 6/7, no Grand Prix dois conjuntos garantiram mais um índice técnico para os Jogos: o cavaleiro olímpico Leandro Silva com Di Caprio, dupla integrante do Time Brasil medalha de bronze no Pan 2015 e o representante do Time Brasil na Rio de 2016 Pedro Tavares de Almeida com sua nova montaria Aoleo.

Leandro montando Di Caprio registrou seu terceiro índice com a nota média final de 68,652%, e com as duas juízas 5* da FEI: a australiana Maria Schewenenssen (68,370%) e com a norte-americana Janet Foy (68,043%). 

Pedro Tavares de Almeida montando Aoleo registrou seu segundo índice com a nota média final de 66,957% e com a juíza Janet Foy, 66,630%. Mauro Pereira Junior com Banzai AMM chegou em 3º lugar, 65,630%. 

No sábado, 7/7, Leandro com Di Caprio e Pedro montando Aoleo garantiram mais uma dobradinha no Grand Prix Special, totalizando respectivamente, 68,085% e 65,702%. Integraram o juri da série internacional ao lado de Janet Foy e Maria Schewenenssen, a juiza brasileira Claudia Moreira de Mesquita, Cesar Torrente, da Colombia, e o argentino Cesar Lopardo Grana.

Ao mesmo tempo está sendo disputada a Small Tour que vale como observatória técnica rumo aos Jogos Pan-americanos 2019 em Lima, no Peru. 

Na sexta-feira, 6/7, o top João Paulo dos Santos apresentando Carthago Comando SN venceu a São Jorge com a média de 70,412%. Em 2º lugar chegou Mauro Pereira Junior com Don Enrico AMM, 69,118%, seguido pela jovem amazona Yara do Amaral Fernandez montando Dilto HI, 67,059%. 

Já no sábado, 8/7, os mesmos três conjuntos repetiram a classificação, respectivamente, com bom aproveitamento de 70,529%, 67,176% e 66,912%.

Participaram do Small Tour Internacional 7 conjuntos e outros 7 concorreram no série Nacional, com oportunidade de serem julgados pelo mesmo time de juízes com despesas menores que no Internacional. Isabella do Vale com Zephiro da Raposa Dressur venceu os dois de competição - St. George e Inter I com 66,373% e 66,679% sagrando-se campeã da série Nacional.

João Victor Oliva registra 5º índice com nova montaria na Europa

O cavaleiro olímpico João Victor Oliva, de 22 anos, foi o único brasileiro no Grand Prix do CDI4* Dressage Grand Ducal de Luxemburgo realizado na manhã do sábado (7/7) em Leudelange, onde registrou seu 5º índice montando Xiripiti TVF: 66,304% de nota média final e 67,065% com o juiz 5* FEI Raphael Saleh, da França. Os outros quatro índices do conjunto brasileiro foram registrados em 2018 em CDIs em Portugal. 

O Grand Prix - prova válida como qualificativa - contou com participação de 29 conjuntos de 14 países. João Victor Oliva/Xiripiti TVF ficou em 14º lugar na classificação geral. O campeão do GP foi o norte americano Steffen Peters montando Suppenkasper com nota média geral de 74.239%. Peters integrou a equipe medalha de bronze nos Jogos do Rio 2016.

Cinco conjuntos habilitados para o Mundial

Somados os resultados das cinco qualificativas realizadas no Brasil entre 2017 e 2018, e os obtidos por João Victor Marcari Oliva com suas duas montarias - Xamã dos Pinhais na temporada 2017 e Xiripiti TVF em 2018 – já são cinco os conjuntos habilitados a integrar o Time Brasil a ser formado por quatro conjuntos e um reserva. Carimbaram o passaporte técnico João Victor, que tem cinco índices com cada montaria, Giovana Pass montando Zíngaro, integrante do Time Brasil na Rio 2016,  com Zingaro de Lyw e Leandro Silva com Di Caprio têm três índices, e com dois índices, Pedro Tavares de Almeida montando Aoleo. 

Sobre os Jogos Equestres Mundiais

Considerada a “Copa do Mundo” do cavalo, os Jogos Equestres Mundiais (WEG, na sigla em inglês) são realizados a cada quatro anos, e em sua 8ª edição acontece de 11 a 23 de setembro no Tryon International Equestrian Center, em Mill Spring, na Carolina do Norte, EUA. Unidos. É a segunda vez que o país recebe a competição que reúne amazonas e cavaleiros de vários países competindo em oito modalidades: Adestramento, Adestramento Paraequestre, Atrelagem, Concurso Completo de Equitação (CCE), Enduro, Rédeas, Salto e Volteio.

No Adestramento serão realizadas três provas entre os dias 12 e 16/9: na quarta-feira (12) acontece o Grand Prix, prova qualificativa individual e por equipe; na quinta-feira (13) o Grand Prix define o pódio por equipe; na sexta-feira (14), o Grand Prix Special qualificativa para o pódio individual, e no domingo (16) o Grand Prix Freestyle define o pódio individual.

O Adestramento brasileiro estreou nos Jogos em 2002, em Jerez de La Frontera, e como equipe em 2010, em Kentucky, EUA, e na Normandia, França, 2014. A definição das equipes brasileiras será anunciada em agosto pela Confederação Brasileira de Hipismo.




CBH 

Foto by Erika Costa



Notícias Relacionadas

Mais Notícias